Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pimenta na Língua

Tudo sobre alguém que não tem papas na língua

Ainda as bolas de berlim!

Eu não toquei, mas vi-as bem de perto! Não comprei porque tinha um caixinha com melancia cortada para mim, claro que não poderia levar a melancia para casa e engordar com uma bola.

Mas o que eu vi, não posso chamar de bolinhas. São bolas de berlim gigantes, grandes como nunca vi em praia alguma.

Tão grandes, que se me atrevesse a comer, não precisava de almoçar ou jantar. E o creme? Se vissem como o recheio estava a ser gabado iam logo a correr comprar.

Portanto, amantes das bolas de berlim, são 1,50€, mas ninguém passa fome!

Estava tudo doido com o tamanho das bolas daquele senhor!

Estou toda dorida

Passei a tarde toda de domingo na praia esticada ao sol mais uns amigos.

Sim, dividi-me entre uma ida ao bar e o estar deitada a tentar dormir um bocadinho e o estar sentada na conversa.

Então e não foste dar um mergulho? Não. Digamos que aqui por estas bandas assim que metemos um pé na água sentimos todos os ossos e mais alguns a gelar. E tendo em conta que são ondas que nunca mais acabam, é rara a pessoa, que não sendo surfista, se atreve a entrar.

Então lá fiquei pela areia, o problema é que eu estou com as costas e o pescoço todos doridos, e estou desconfiada, que enquanto passei pelo sono, deve-me ter passado por cima uma daquelas máquinas que costumam ir para a praia às três da manhã alisar a areia. É que parece mesmo que fui passada a ferro por alguma coisa bem pesada.

o meu pior erro...

Desisti do ginásio!

Calma, tenciono voltar.

Eu adorava o ginásio, adoro tudo o que são aulas de fitness, mas estava a ser insustentável. Não era caro, podia ir todos os dias por semana, mas para quem não tem um ordenado, é impossível dar-se ao luxo de ir pelo menos 3 vezes por semana para um ginásio que ainda fica a 11 ou 12 km de casa. Quando as minhas colegas lá estavam, ainda conseguia ir com elas, agora, ter de pedir o carro aos pais, ter de pedir gasóleo, não dá. Aliás, nem me sinto bem a fazê-lo. Uma coisa seria pedir o carro emprestado para ir trabalhar, a partir do 2º mês já lhe metia o gasóleo, agora para ir trabalhar o corpo, a conversa tem de ser outra.  Mais vale nem tentar.

Portanto, prometi a mim mesma, que se o meu horário assim o permitir, no meu 2º mês de trabalho estou lá. Porque me faz bem e aquilo é brutal.

É a minha desgraça...

Não é que estava eu descansada da vida, a apanhar banhos de sol aqui na praia, e começo a ouvir falar em bolas de berlim.

Ainda pensei que tinha passado pelo sono e que já estava a sonhar com bolinhasde berlim. Levantei a cabeça apenas numa de confirmar que estava a sonhar, mas não estava. Lá estava o rapaz a passar de geleira na mão, a querer vender bolas de berlim por onde passava.

Nunca vi tal coisa aqui , a não ser quando eu tinha aí uns 8 anos e passava o homem das farturas e eu comia uma todos os dias! Sim, aqui à uns 15 anos atrás vendiam farturas na praia.

E pronto, agora foram-se as farturas e vieram as bolas, e eu vou fingir que não o vejo, e que estou a sonhar. Já me chega as que como no algarve.

Estágios profissionais

Finalmente! Parece que é desta, e que a partir desta Quinta feira, dia 31 de Julho, os Estágios profissionais com as novas regras já podem avançar. Claro que quando há mudanças, raramente são para melhor. E o que piorou? Passaram de 12 meses para apenas 9 meses e as contribuições para o privado passaram de 80% para 65%.

Claro que para as empresas  isto é pior, mas reconheço que a grande maioria das empresas se aproveita destas medidas e nada de fazer contratos, é quase tudo corrido a estágios profissionais. E depois, quem faz o estágio está lixado, primeiro que consiga encontrar uma oferta de emprego sem ser para estágio, demora uma vida.

Enfim, vamos ver se é desta que eu consigo arranjar um estágio para mim!

olha eu rebarbada

Irrita-me profundamente quando estou a ter uma conversa com alguém e outra pessoa de repente apanha a conversa a meio e começa dar palpites. Seja a pessoa minha amiga ou não.

Estavamos numa esplanada cheia de gente, quando digo cheia,  é mesmo cheia de gente de malta entre os 16 e os 30 anos, tipo mais de 100 pessoas, bem mais. E porquê tanta gente? porque a cerveja e tudo o que é bebida é barata, a esplanada estende-se até ao muro da casa da frente, e fica tudo por ali até ser hora de ir para bares.

Estava eu a falar com uma amiga de Kimonos, e que tínhamos de ir comprar tecidos giros para fazer-mos unss. Nisto, passa uma miuda com um kimono super giro e eu digo :"olha, aquele que está ali é bué giro", com quem eu estava a falar percebeu, mas a outra vira-se e diz assim demasiado alto para toda a mesa ouvir "Opa, estás um bocado rebarbada demais não?" Oi? Eu estava a falar do casaco da miúda que é bue giro e tu estás a dar a entender que eu estou para aqui a falar de gajos.  Mesmo que fosse, tenho direito a achar alguém bonito, mas era escusado dizer aquilo à frente de 350 gajos que estavam por lá.

Fiquei para morrer, e pior que estragada como é óbvio.

Pág. 1/6