Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pimenta na Língua

Tudo sobre alguém que não tem papas na língua

O preço certo em direto!

Calhei a meter na rtp1 e deparei-me com o preço certo em direto!

Nunca tive muita paciência para ver o programa, mas parei por 10 minutos, para ver como é que funcionava o programa em direto e na praia. Claro que fiquei estupefacta a olhar para o Fernando Mendes e o senhor que mostra os preços certos e encaminham os concorrentes a dançar. Quer dizer, não se posso chamar aquilo de dança, mas que foi estranho foi. E pior, pareceu-me que fazem aquilo sistematicamente.

Ah, e aquela tralha toda que o Fernando Mendes recebe? Onde é que o homem mete aquilo ou a quem é dá? Podia abrir um museu.

Ainda a praia

Acho que não há nada melhor do que morar a 5 minutos da praia. E acho que sinceramente nunca dei muito valor a isso, até ter ido para a universidade e estar com 30 graus, querer dar um mergulho, respirar a maresia e não conseguir.

E agora que o calor voltou, a chuva se foi e tenho um fim de semana pela frente, vou aproveitar. Já que segunda feira tenho aqui as minhas pirralhas e não vou conseguir sair de casa porque uma está com varicela.

Portanto, fiquem com inveja, mas enquanto estão a ler isto, provavelmente estou a apanhar banhos de sol, ou a mergulhar em água gelada, ou não, já que a bandeira deve estar vermelha.

 

Beijinhos

Peripécias de farmácia

Na Farmácia:

 

Eu, num balcão a pedir a pílula.

No balcão do lado, um rapaz com 17 ou 18 anos, a pedir um teste de gravidez.

Ainda pensei cá para mim, pois é por isso que eu me previno, mas depois fiquei com pena dele e até achei graça à coragem de ter sido ele a ir comprar o teste.  O Rapaz estava tão calminho e tão nervoso ao mesmo tempo que só aptecia dar uma palmadinha nas costas e dizer que ia tudo correr bem. Mas a farmacêutica fez questão de se despedir com um "tudo a correr bem".

Opa, aquilo tocou-me. Não sei se por já ter passado pelo mesmo, se por pena, mas fiquei curiosa com o final da história.

Chuva?

Eu queria ir à praia, aliás, eu fiz planos para ir para a praia, tendo em conta que ontem o mar parecia um rio, não mexia, qual Algarve. Mas isso era ontem, porque hoje está de chuva, está calor, mas está a chover. Não me aptece muito ir para a areia molhada, apesar de lá estar gente.

Enfim, vou mas é limpar a casa.

As aparências iludem

Adoro ir à praia, nem que seja só para ver o que me rodeia na areia.

Por aqui há um homem daqueles viciados em ginásio que parecem armários que frequenta a praia quase todos os dias. O senhor é mesmo grande, traz consigo sempre um garrafão de 5 litros de água, mas hoje que fiquei mais perto, consegui perceber o farnel dele. Ora bem, a água, que já falei,o tupperware com arroz, o frasco de mel e as panquecas.

Até aqui tudo bem, um corpo daqueles não se aguenta só com um iogurte e uma bolacha maria. Mas depois, vai-se a ver, ou a ouvir neste caso, e o senhor também gosta de gozar com aquilo que vê, nomeadamente com um rapaz que por ali andava que ele dizia ser gay. Como é que alguém ousa dizer que o outro é gay, quando tem um corpo que aprece um armário e se deita numa toalha de praia com luas, estrelas e nuvens e tem um telemóvel cor de ROSA?

Really?

Não imaginam o que me ri esta tarde na praia à custa deste senhor e dos seus amigos.

Uma queda valente

Não sei como é que não parti um único osso. Mas que estou dorida em todo o lado estou.

Não é que o chão perto do frigorifico estava molhado, e conforme eu vou abrir a porta do mesmo, dou uma queda de todo o tamanho? Mas daquelas mesmo grandes em que nos ficamos a questionar como é que nos vamos conseguir levantar. Foi a custo, mas consegui.

Entretanto vou para a praia e acho que vou dar por mim a ficar toda negra.

Pág. 1/5