Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pimenta na Língua

Tudo sobre alguém que não tem papas na língua

E os desejos para o ano novo?

E pronto, tanta coisa e tanto tempo a dizer que não gosto do ano novo, que acho uma treta os desejos para o ano novo e dei por mim a conversar com alguém sobre esses mesmos desejos.

Logo à noite vou jantar fora, a minha vontade de ficar em casa continua a ser enorme. Não tivesse eu confirmado a minha presença num jantar de 25€ e ficava sentada com o rabo no sofá ao quentinho e a curar esta maldita constipação.

Mas se foi para fazer uma lista daquilo que queremos para este 2015 aqui fica a lista:

- Um trabalho;

- Saúde;

- Um trabalho;

- Muita amizade e muito amor;

- Um trabalho;

- Conseguir comprar um carro;

- Um trabalho;

- Muita saúde, amor e trabalho para a minha família;

- Um trabalho;

- Conseguir ter a minha própria casa;

- Um trabalho;

- "Casar", sim está entre aspas porque quero mesmo é ir morar com o amor da minha vida;

- Um trabalho;

- Ser feliz.

 

Já referi que quero mesmo mesmo é arranjar um trabalho?

 

 

Festejar para quê?

Já não posso ouvir falar em ano novo e desejos de ano novo.Que 2014 teve de fantástico imensa coisa e que 2015 vai ser melhor que 2014 e bla bla bla.

Mas qual quê? É apenas mais um dia, é um dia como todos os outros em que as pessoas arranjam descupas para fazerem listas daquilo que gostavam de concretizar e na maioria das vezes nunca chegam a concretizar.

Nunca me lembro de ter passado uma noite tão má na minha vida como a última que passei. Deitei-me às 23h e qualquer coisa, deviam ser perto das 4horas quando adormeci. Levei aquelas horas todas a pensar na merda de ano que tive e que motivos é que eu tinha para festejar ou que irei ter para festejar neste novo ano.

Tive um ano inteiro à procura de trabalho, não desvalorizando quem trabalha num supermercado, mas nem num supermercado consegui ficar com o caralho do lugar. Todos os dias levanto o cú da cama sem vontade, sem vontade de vivier. Chego quase sempre por volta das 16horas a desejar que já fossem 23h para me enfiar na cama. E quando me deito, dou por mim a pensar que nem vontade de acordar no dia a seguir tenho. Sim, é verdade. Tenho dias assim e até tenho dias muito piores. Dou por mim a sentir-me a pessoa mais inútil à face da terra. Fiz tantos estágios curriculares e senti-me a pessoa mais feliz do mundo a trabalhar na minha área. Acabo o mestrado com boas notas, e depois chego cá fora e só se fecham portas. Vejo outros a acabarem depois de mim e a conseguir portas abertas, sejam elas abertas através de cunhas ou não. Como é que eu me sinto? Uma merda, uma inútil.

Festejar o novo ano? Para quê?

Desafio...

Fui desafiada pela Vanessa do Volta e Meia para mais um desafio e aqui estou para responder. Obrigada por te teres lembrado de mim querida!

 

1. Há quanto tempo tens o blog?

Tenho o blog desde o final de Janeiro deste ano. Está quase a fazer um ano.

 

2. Quais os temas abordados?

Tudo e mais alguma coisa. Escrevo sobre o que me aptece. Desabafo, resmungo, ralho, mostro coisas que gostava que viessem morar cá para casa e tento-me divertir.

 

3. Qual foi a tua maior motivação?

A necessidade de me manter ocupada. Terminei o mestrado, não arranjei trabalho e estava a começar a dar em doida. Já tinha pensado criar um blog, mas com a falta de tempo fui sempre adiando e agora cá está ele. Um espaço onde digo aquilo que quero e me aptece.

 

4. Blogs que segues diariamente/semanalmente?

Volta e meia, Dona pavlova, Também quis um blog, e agora sei lá, bla bla bla, entre outros tantos.

 

5. Significado do nome escolhido para o blog?

Pimenta na língua, como digo aquilo que quero e bem me aptece, por vezes devia ficar calada ou então levar com pimenta na língua para aprender.

 

6. Como defines esta experiência?

Brutal. Nunca pensei vir a gostar tanto deste mundo. Desde os autores dos blogs a toda a equipa é tudo fantástico. E claro, são os leitores que vêm cá todos os dias que ainda noss motivam mais. Ah e os famosos anónimos que gostam de criticar, já tive o prazer de lidar com uns desses e ainda dá mais gozo.

 

7. Quanto tempo em média dedicas ao teu blog?

Umas duas horas. Depende do dia e da minha paciência. Há dias em que não dá mesmo para vir cá.

 

8. Já fizeste amizades através do blog?

Ainda não, mas espero vir a fazer.

 

9. Resume a tua personalidade numa frase.

Para quem me faz bem e a quem me deseja bem sou a pessoa mais simpática, amiga, sincera e honesta do mundo. Quando me fazem alguma, sou a pessoa mais antipática, mal disposta que podem ver. E digo tudo o que tenho a dizer, quer gostem de ouvir ou não, mas se me lixam, não ando aqui com paninhos quentes.

 

10. Quais os objectivos em 2015 para o blog?

Continuar a escrever, escrever ainda mais. Continuar a ter gente a passar por aqui.

 

11. Qual o tema que mais gostas de abordar no teu blog? Porquê?

Gosto de tudo, mas dá-me um certo gozo contar peripécias do meu dia a dia.

 

Os meus nomeados são qualquer pessoa que queira responder.

 

Unhas de gel!

Já ha uns tempos tinha escrito por aqui que adorava ter um kit de unhas de gel. Se há coisa que gosto de ver numa mulher e de ter também, são as unhas arranjadas e bonitas. E discretas, não gosto cá nada de bonecada nas unhas. Mas também já estava farta de as andar a pintar com verniz normal, porque ao fazer qualquer tarefa doméstica o verniz começava a sair. Demorou, mas consegui o kit.

E não é que para a primeira vez e a  fazer a mim própria a coisa até que nem ficou mal?

Agora tenho de ir começar a fazer à mãe e à irmã para treinar ainda mais. E parece que não vou querer outra coisa daqui para a frente!

...

A minha vontade de viver já não é muita.

Com a chegada do ano novo, ao pensar no que aí vem, e no que eu desejava que viesse, que fosse uma nova etapa, só consigo ficar ainda pior.

Desaparecer. É o que me aptece.

Malditas prendas

Já aqui tinha dito algures que adoro o Natal.  Não pelas prendas, mas por ter a família toda junta, sem haver pressas e preocupações.

Pois, mas isso não é assim tão verdade. Não ligo às prendas ou porque já sei o que são, ou porque sou eu que compro para mim um mês antes e as embrulho para não usar ou porque não as tenho. Mas há sempre uma que é especial. Há sempre uma que não sei o que é, há sempre uma que me faz brilhar os olhos de curiosidade e que só a vou buscar depois da meia noite. E este ano estraguei tudo. Não sei o que aconteceu, não sei o que se passou, só sei que não estava à espera nem  por nada. E claro, a minha reação não foi a melhor. E acho que acabei por estragar o Natal a uma das pessoas que mais amo na vida, e claro o meu.

Malditas prendas.

Comecei a odiar o Natal

Pág. 1/4