Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pimenta na Língua

Tudo sobre alguém que não tem papas na língua

Filmes que tenho visto #13

-Captain Phillips-

 

ou em português Capitão Phiillips, é um filme de acção e suspense biográfico realizado por Paul Greengrass.

Este filme, retrata a história do Capitão Phillips, o Comandante do Porta-Contentores Norte-Americado Maersk Alabama e a sua relação com um pirata da Somália que o mantém como refém após tentar, juntamente com os restantes piratas, assaltar  o porta-contentores.

Uma grande aventura que termina bem.

 

 

Eu sei que o filme não saiu a semana passada, mas tenho tantos filmes em atraso e tanto tempo livre que me tenho ocupado a ver filmes, pelo menos um por semana e o que tenho tentado ver. E em relação a este, já tinha ouvidos maravilhas e posso confirmar. Adorei, e saber que foi uma história verdadeira e que não é a primeira vez nem a última que os piratas da Somália tentam assaltar barcos, arrepia-me.

Filmes que tenho visto #10

- The Imitation Game -

 

ou em Português, O Jogo da Imitação,  um filme realizado por Morten Tyldium.

Relata a história de um génio da matemática e pioneiro da computação moderna, que no ano de 1952 lidera uma equipa de académicos, linguístas, campeões de xadrez e analistas, com o objectivo de decifrar o código da Enigma, a máquina que era utilizada pelos Alemães na Segunda Guerra Mundial.

 

 

Tivesse eu dinheiro e era ver-me todas as semanas no cinema, mas como não tenho, é só de vez em quando.No fim de semana passado foi este o filme escolhido, e posso dizer que sim, que foi uma boa escolha.

Confesso que ia um pouco com o pé atrás tendo em conta que não sou a maior fã de filmes sobre guerras mundiais e que retratam épocas passadas, mas fiquei presa ao ecrãn em pouco tempo.

Adorei o filme, por momentos pensei que fosse ver mais guerra, o que já me estava a assustar, mas não. E depois, claro que há o lado absurdo daqueles tempos, em que condenam os homossexuais e com medidas completamente vergonhosas e tristes e que sim, faz pensar muito. Condenamos a nossa sociedade por criticar, olhar de lado para estas pessoas, mas lentamente, muito lentamente mudamos mentalidades, na altura em que se passa o filme era ridículo o que faziam.

Aconselho a verem o filme, está mesmo brutal.

 

 

 

A casa dos segredos...

Tinha aqui questionado se seria a única que não via a casa dos segredos, que ainda não tinha dado uma olhadela e não tinha interesse em mudar de canal para lá.

Tanta coisa e foi lá parar. Por pouco tempo é certo, mas estava a fazer zaping e deparei-me com uma cara bonita.

Pareceu-me ter avistado uma rapaz com um palminho de cara interessante, ainda me passou pela cabeça ficar a ver um bocadinho para o conhecer melhor, mas depressa me passou o interesse.Se ele fosse realmente interessante nunca teria entrado numa casa daquelas certo?

Rapidamente voltei a mudar de canal. Já posso dizer que vi um minuto ou dois da casa.

 

 

 

É só mais uma....

Logo lá vou eu mais uma vez a caminho de uma sessão de esclarecimento do centro de emprego.

Se da última vez que fui aquele local me sugeriram (a mim e a mais 4 mil pessoas) fazer uma formação de 3 anos, que tinha como equivalência o 12º ano (tenho mestrado) na área da climatização e refrigeração, desta vez devem-me sugerir algo parecido.

Vamos esperar para ver, mas tenho a impressão que vou para lá simplesmente para gastar um bocadinho de gasóleo e ocupar o tempo, já que tem sido sempre assim.

As aparências iludem

Adoro ir à praia, nem que seja só para ver o que me rodeia na areia.

Por aqui há um homem daqueles viciados em ginásio que parecem armários que frequenta a praia quase todos os dias. O senhor é mesmo grande, traz consigo sempre um garrafão de 5 litros de água, mas hoje que fiquei mais perto, consegui perceber o farnel dele. Ora bem, a água, que já falei,o tupperware com arroz, o frasco de mel e as panquecas.

Até aqui tudo bem, um corpo daqueles não se aguenta só com um iogurte e uma bolacha maria. Mas depois, vai-se a ver, ou a ouvir neste caso, e o senhor também gosta de gozar com aquilo que vê, nomeadamente com um rapaz que por ali andava que ele dizia ser gay. Como é que alguém ousa dizer que o outro é gay, quando tem um corpo que aprece um armário e se deita numa toalha de praia com luas, estrelas e nuvens e tem um telemóvel cor de ROSA?

Really?

Não imaginam o que me ri esta tarde na praia à custa deste senhor e dos seus amigos.

Férias fantásticas

E o que eu gosto de ter amigos em casa?

E de cozinhar para eles? Reunir os amigos à mesa é do melhor. Como tal, ontem aproveitei para combinar com alguns e fiz um arrozinho de marisco do melhor!

Esta coisa de cozinhar com amor e por prazer é maravilhoso.

E depois do jantar? Só nós sabemos o que nos divertimos a dançar no meio do quintal, começando no kizomba, acabando em música espanhola, e cheio de piruetas pelo meio.

Gosto tanto disto.

Ainda as férias...

A água  estava gelada, sempre me lembro de ir todos os anos para o Algarve e tomar banho até me cansar, não me lembro de apanhar um único dia com água gelada como estava esta semana, é que nem me soube a verdadeiras férias. Até nos três dias que lá estive em final de junho tomeu banho que nesta semana toda enfim.

Mas como não se podia tomar banho, havia muitas outras coisas interessantes para fazer, como observar aquilo que andava ao nosso redor na praia.

Se há coisa que eu odeio ver, é homens de tanga ou cuecas na praia. Epá, mas as esposas não têm uma opinião a dar? Acham assim tanta graça ver o seu homem ali com o material todo pendurado a andar de um lado para o outro na praia? E aqueles que para além de irem de tanga ainda têm a capacidade de andar a passear pela praia a coçar aquilo tudo? Medo, muito medo!

Mas não é só! Claro que nesta altura o que se vê mais lá para baixo são emigrantes. O pior é quando são emigrantes que perdem a noção. Como o casal que eu vi. Então não é que a senhora vinha à beira mar enrolada com uma toalha de praia gigante, tal e qual a bandeira nacional? Já era mau, o pior foi quando reparei que ela esperava o marido que saía da água com os seus calções fantásticos (vá lá, não tinha tanga) e querem saber como eram os calções? A fazer pandã com a bandeira da esposa. Daqueles calções que chegam a meia canela, adivinhem, tal e qual a bandeira portuguesa e com umas letras gigantes a dizer Portugal! Não lhes podemos dizer que não amam de paixão o seu país, apesar de tudo de mau que por cá se passa, mas andar assim na praia, meu deus.

Férias, aqui vou eu!

Afinal vou! A querida da minha irmã decidiu esperar pela minha entrevista, e em vez de termos ido ontem vamos hoje, logo depois da entrevitas? Digam lá se também não querem uma irmã destas?

E pronto, agora, resta-me uma entrevistas e uma longa viagem pela frente!

Beijinhos e abraços a todos e até domingo, porque até lá, não sei se consigo actualizar o blog!