Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pimenta na Língua

Tudo sobre alguém que não tem papas na língua

Contas de facebook em comum?

E o ridículo que é haver facebook's de casais?

Por exemplo, Maria e Manel, Josefina e Jacinto, Leopolda e Teotónio? É do mais parolo que pode existir. Gostava de saber o que elas fazem aos homens para conseguirem tero facebook com o namorado.Ter um facebook de casal, hoje em dia, para muita gente, deve tornar a relação tão mais séria do que ter um anel de compromisso no dedo, ou até mesmo ter "casado" no cartão de cidadão.

Na minha opinião, o facebook foi a melhor coisa que aconteceu para terminar com relações. Deviam realizar um estudo acerca do número de relações que terminam por dia devido ao facebook. E após perceberem os números elevados, tomavam medidas para tornar a rede social mais discreta, tendo em conta que aparece lá tudo bem na nossa frente acerca da actividade de toda a gente, incluindo namoradas e namorados. E que tipo de actividade é esta? Ou há-de ser gajas todas boas a fazerem pedidos de amizade, ou há-de ser um like numa foto de uma gaja com as mamas (boas, por sinal) todas de fora, ou num rabo sem celulite, um comentário a dizer que eles estão bue lindos ou então a meter-se nos comentários que nada têm a ver com ela. É só mesmo para meter conversa. Quem diz dela, diz também, dele, porque seja homem ou mulher faz isto.

Eu própria já perdi a conta às vezes que estive para eliminar aquela porcaria, só para não me chatear mais. Sim, porque já me chateei várias vezes à custa do facebook, e tenho a certeza que se ele não existisse tinha-me facilitado a vida e poupado muitas dores de cabeça.

Mas há pessoas que para não eliminarem, decidem unir-se. E como tal, criam a tal conta Manel e Maria, que sendo parola, torna-se mais fácil de utilizar. Ora então, o Manel há-de ter sempre cuidado a adicionar Marias (certamente não o vai fazer), o que deixa a sua Maria mais descansada, a pensar que assim controla tudo. Por outro lado, o Manel pode muito bem andar a por likes em fotos de gajas que nunca vai aparecer no feed de notícias do Manel e Maria a actividade que os próprios têm. Mas por outro lado, o Manel perde sempre, porque mesmo que o faça, um aviso no facebook da Antónia a dizer "Manel e Maria gostam da tua foto" nunca tem o mesmo impacto que "Manel gosta da tua foto" Ou seja, aqui não há engate, a Antónia não terá interesse. O que quer dizer que a Maria está sempre bem! Ou então não, porque o Manel, se for malandro arranja uma outra forma de se meter e falar com outras Marias e aí, não é nada bom para a Maria.

Agora pensando melhor, o facebook até nem é mau, ao menos sempre dá para nos apercebermos de alguma coisa. Mas continua a achar parolas as contas em comum, mas é só a minha opinião.

As aparências iludem

Adoro ir à praia, nem que seja só para ver o que me rodeia na areia.

Por aqui há um homem daqueles viciados em ginásio que parecem armários que frequenta a praia quase todos os dias. O senhor é mesmo grande, traz consigo sempre um garrafão de 5 litros de água, mas hoje que fiquei mais perto, consegui perceber o farnel dele. Ora bem, a água, que já falei,o tupperware com arroz, o frasco de mel e as panquecas.

Até aqui tudo bem, um corpo daqueles não se aguenta só com um iogurte e uma bolacha maria. Mas depois, vai-se a ver, ou a ouvir neste caso, e o senhor também gosta de gozar com aquilo que vê, nomeadamente com um rapaz que por ali andava que ele dizia ser gay. Como é que alguém ousa dizer que o outro é gay, quando tem um corpo que aprece um armário e se deita numa toalha de praia com luas, estrelas e nuvens e tem um telemóvel cor de ROSA?

Really?

Não imaginam o que me ri esta tarde na praia à custa deste senhor e dos seus amigos.

o meu pior erro...

Desisti do ginásio!

Calma, tenciono voltar.

Eu adorava o ginásio, adoro tudo o que são aulas de fitness, mas estava a ser insustentável. Não era caro, podia ir todos os dias por semana, mas para quem não tem um ordenado, é impossível dar-se ao luxo de ir pelo menos 3 vezes por semana para um ginásio que ainda fica a 11 ou 12 km de casa. Quando as minhas colegas lá estavam, ainda conseguia ir com elas, agora, ter de pedir o carro aos pais, ter de pedir gasóleo, não dá. Aliás, nem me sinto bem a fazê-lo. Uma coisa seria pedir o carro emprestado para ir trabalhar, a partir do 2º mês já lhe metia o gasóleo, agora para ir trabalhar o corpo, a conversa tem de ser outra.  Mais vale nem tentar.

Portanto, prometi a mim mesma, que se o meu horário assim o permitir, no meu 2º mês de trabalho estou lá. Porque me faz bem e aquilo é brutal.

Estágios profissionais

Finalmente! Parece que é desta, e que a partir desta Quinta feira, dia 31 de Julho, os Estágios profissionais com as novas regras já podem avançar. Claro que quando há mudanças, raramente são para melhor. E o que piorou? Passaram de 12 meses para apenas 9 meses e as contribuições para o privado passaram de 80% para 65%.

Claro que para as empresas  isto é pior, mas reconheço que a grande maioria das empresas se aproveita destas medidas e nada de fazer contratos, é quase tudo corrido a estágios profissionais. E depois, quem faz o estágio está lixado, primeiro que consiga encontrar uma oferta de emprego sem ser para estágio, demora uma vida.

Enfim, vamos ver se é desta que eu consigo arranjar um estágio para mim!

olha eu rebarbada

Irrita-me profundamente quando estou a ter uma conversa com alguém e outra pessoa de repente apanha a conversa a meio e começa dar palpites. Seja a pessoa minha amiga ou não.

Estavamos numa esplanada cheia de gente, quando digo cheia,  é mesmo cheia de gente de malta entre os 16 e os 30 anos, tipo mais de 100 pessoas, bem mais. E porquê tanta gente? porque a cerveja e tudo o que é bebida é barata, a esplanada estende-se até ao muro da casa da frente, e fica tudo por ali até ser hora de ir para bares.

Estava eu a falar com uma amiga de Kimonos, e que tínhamos de ir comprar tecidos giros para fazer-mos unss. Nisto, passa uma miuda com um kimono super giro e eu digo :"olha, aquele que está ali é bué giro", com quem eu estava a falar percebeu, mas a outra vira-se e diz assim demasiado alto para toda a mesa ouvir "Opa, estás um bocado rebarbada demais não?" Oi? Eu estava a falar do casaco da miúda que é bue giro e tu estás a dar a entender que eu estou para aqui a falar de gajos.  Mesmo que fosse, tenho direito a achar alguém bonito, mas era escusado dizer aquilo à frente de 350 gajos que estavam por lá.

Fiquei para morrer, e pior que estragada como é óbvio.

Mágoa

Nos últimos meses, só eu sei o quanto me tenho sentido mal por ainda estar a viver nesta casa, a dos meus pais.

Por mais que tente explicar, não consigo transmitir aquilo que é viver aqui, nem a relação com a minha mãe. Ou estamos muito bem, ou estamos muito mal. O problema maior, é que em 7 dias, estamos um ou dois dias bem. Os restantes dias são passados a discutir, a ralhar, com insultos e choro (meu) pelo meio.

A única pessoa que consegue perceber realmente aquilo que eu sinto é a minha irmã. E porquê? Porque já passou pelo mesmo, mas na altura dela (temos 12 anos de diferença) conseguiu arranjar um trabalho e sair de casa, e não precisou de aqui ficar até aos 25 anos, como eu.

Mas no meio disto tudo, até aqui, tenho tido alguma compreensão do meu pai.

É que assim que a mulher (leia-se minha mãe) começa a resmungar comigo, pois o problema sou eu, eu olhava para ele, encolhíamos os ombros e ambos pensávamos que era mais do mesmo e eu aí consigo ficar calada.

Mas quando estou apenas com ela, o caso muda de figura, não consigo calar-me. Eu juro que tento, mas ela sabe como me tirar do sério e ainda faz pior para eu abrir a boca. Se há coisa que me irrita, é que ela me venha com conversas a dizer que esteve a falar de mim (mal, claro) a não sei quem e que essas pessoas dizem que ela deve fazer isto ou aquilo comigo. Como se eu fosse algum bebé ou mesmo ela não tivesse criado outra filha. Mas desde quando é que as pessoas têm de opiniar acerca disso? Claro que tudo o que vem de fora e opina acerca da minha pessoa me faz passar dos carretos e foi isso que aconteceu. Exaltei-me. É claro que isso me cai sempre mal. Isso, e ela perceber que o meu pai se está a aproximar e el começar a resmungar comigo para ele ouvir e ficar a pensar que eu só faço merda.

Mas como é óbvio a paciência começa a esgotar-se e claro que o meu pai já está a ver que este mau ambiente e discussões não vão parar tão depressa e decidiu dar um pouco de razão à minha mãe em plena discussão, apenas para acabar com aquilo e ela ficar feliz. Eu sei que devo ficar calada, eu sei que só faço pior, mas se me calar, ela nunca vai perceber que ela não é a única a não concordar com certas coisas, e que eu não sou a única a fazer merda, e que ela também me passa a vida a magoar.

O pior, é que magoou-me tanto ouvir o meu pai a falar assim, que lhe respondi também e saí dali disparada.

 E claro, conforme fiquei magoada com ele, ele ficou comigo, e não foi pouco.

Com a minha mãe as discussões são o prato do dia, passados 10 minutos ela já não se lembra de nada (o quanto isso me irrita) e ele não. Pode passar o tempo que passar que ele não esquece.

Já foi na segunda, hoje ainda não consigo olhar para os olhos dele. Consigo sentir ao passar por ele o quanto está chateado, magoado e triste comigo. Eu, aquela que ele assim que vai "picar" a minha mãe, por baixo da mesa me dá um toque com o pé para eu estar atenta. Eu, a única que consegue perceber quando ele está a ser irónico para alguém, que fala "sério" com as pessoas e só eu percebo que é gozo. Agora  sento-me ao lado dele na mesa e nem para mim olha...

Acho que só mesmo ele consegue imaginar o que isto me custa, porque acredito que também sente a falta de toda a nossa cumplicidade.

Ah e tal não tenho dinheiro....

...não têm dinheiro uma merdda!

Tenho imensas pessoas da minha idade à minha volta que se estão sempre a queixar que não têm dinheiro para nada, que precisam de arranjar um trabalho e que estão tesas e isto e aquilo.

Mas depois, vou ao instagran e ao facebook e só vejo fotos dessa gente a passear e em sítios fantásticos com os namorados ou com os amigos. Serei a única que quando diz que não tenho dinheiro é porque não tenho mesmo dinheiro? É que eu ainda vou colocando aqui uns post's a dizer que quero isto ou quero aquilo, mas na verdade, acho que de tudo o que disse aqui que já queria só devo ter comprado um par de sapatos. E sim, também já aqui disse que fui três dias ao Algarve, mas fui com os meus pais, não gastei um centimo. E depois vejo os falsos pobres a passearem-se por terras e praias bonitas. E não me venham dizer que são os amigos que lhes estão a pagar aquilo tudo.

Será que sou eu que sou demasiado sincera ou eles verdadeiramente mentirosos?

Estava só a experimentar...

Há pessoas que não têm noção das coisas.

Ontem, agarrámos na mota, e fomos almoçar aqui ao pé da praia. Claro que assim que lá chegámos parámos a mota e fomos um bocadinho para ao pé da praia.

Entretanto, fomos dar uma voltinha a pé, e à medida que nos afastávamos deu-nos para olhar para trás para a mota. Então não é que estava um rapaz, aí dos seus 28 anos feito parvo de roda do bixo?

Não, não estava apenas a apreciar a beleza da mota, estava a mexer em tudo o que era sítio, a ver se o volante virava, até que se mete em cima da mota. Assim que vai com o pé para tirar o descanso, o meu rapaz já a aproximar-se dele lá lhe perguntou o que ele estava a fazer. Querem saber a resposta? "Estava só a ver e a experimentar. Está fixe. É tua? Ah e tal não queres vender?".   Claro que ouviu logo dizer que não era para experimentar nem para vender.

Não consigo perceber, é como é que as pessoas têm a lata de se montarem em cima de motas e dar a entender que as vão roubar sem pensarem que os donos poderão estar por ali.