Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pimenta na Língua

Tudo sobre alguém que não tem papas na língua

Parti tudo

Tenho as mãos rotas. Só pode ser, não encontro outra explicação para que tal fenómeno aconteça.

O Iphone teima em cair-me das mãos quase todos os dias. E tem dias em que me cai das mãos mais que uma vez. A capa dele? Já parti umas quantas. E como já não há capas, quer dizer, há uma grossa como tudo e o Iphone quer-se é fininho, não andava com ela.Já tinha estalado a parte de trás. Não estava muito bonito, mas também não era nada por aí além.

Ontem aconteceu a desgraça maior. Ia eu toda lampeira com o pc, um caderno e o iphone e em vez de me cair a porcaria do caderno, ou até o pc que aguentava mais facilmente a queda, não. Caiu a porcaria do Iphone, que a quantidade de vezes que já tinha contactado com o chão estava-se mesmo a ver que não ia ser só um bocadinho.

PARTI A FRENTE TODA DO IPHONE!!!!!

À excepção do canto inferior esquerdo está tudo estilhaçado, é vidro a sair por tudo o que é sítio e a mim é ver-me a ter um ataque cada vez que tenho de o olhar.

 

 

As feiras são um espectáculo

Nestas duas últimas semanas houve por aqui a conhecida Feira de S.Pedro. Assim uma feira grande, engraçada, com tudo a que temos direito. Carrocéis, churros, farturas, exposições de tudo e mais alguma coisa, carros para dar e vender (era só mesmo para vender) e claro, uma secção de 1500 bancas de ciganos.

E o que eu gosto de ir para as bancas dos ciganos? Confesso que não tenho paciência para lá andar pelo simples facto de as pessoas não se mexerem, e quando o fazem é para empurrar, pisar e mandar cotoveladas. Mas gosto mesmo de ouvir as cantorias deles. Aquilo é um espéctaculo, é pura arte, são verdadeiros poemas declamados com o único propósito de vender uma peça nem que seja de 0,50€.

Mas estava eu aqui a falar dos ciganos porque fui lá parar com os meus paiss. Enquanto a minha mãe via, mexia e remexia numas peças, eu e o meu pai delirávamos com as canções ao mesmo tempo que admirávamos a rigorosa falsificação de pólos da Lacoste. Enquanto eu observava os pólos, a cigana observava-me a mim. Nisto vira-se para mim e diz "oh menina, olha ali para os meus rapazes! Digam lá que ela não é parecida com a X." Enquanto o meu pai se ria, eu corava e eles continuavam a olhar e ela a teimar para eu olhar e para me por de perfil e que era igual não sei aonde, mas que de perfil era tal e qual. E nisto, tinha uns 5 ou 6 ciganos a olhar para mim a comprovar a teoria da senhora.

Não, não foi a melhor experiência da minha vida e não, também não tenho ar de cigana.

Dormir a noite toda

Dormi a noite toda. Todinha. Deitei-me às 23 e por aí fora, mas como é óbvio ainda andei às voltas em tudo o que é rede social até adormecer. Voltei a acordar já eram 8 e tal. Não me lembro da última vez que tenha dormido uma noite inteirinha, sem acordar pelo meio, sem a vontade de ir fazer xixi.

Já não me lembrava do quanto isto era bom!

 

wc musical?

Há uns dias passei numa montra com artigos para crianças e deparei-me com a promoção de um wc musical. Fiquei naquela "cena marada".

Compreendo que inovem porque as crianças têm receio de se sentaram nas sanitas e caírem lá dentro, há redutores que para elas continuam a ser assustadores porque nas suas cabeças vão cair lá dentro na mesma. Mas mesmo assim, continuo a achar que uma espécie de bacio com música também será assustador. Então a criança está ali a fazer um esforço para fazer xixi e de repente aquilo começa a tocar? Não passará a vontade num instante?

Das pessoas e das desilusões

A vida é feita de escolhas.

Não sei quantas vezes ouvi isto, mas que foram muitas foram. E é verdade. A vida é feita de escolhas. Temos que optar em tudo na vida. Seja em que área seguimos no secundário, na universidade, com os amigos...

Eu sempre fui daquelas miúdas que faz tudo pelos outros e por vezes se deixou ficar para trás. Não me arrependo, não quero atirar nada à cara de ninguém, mas é verdade. Sempre tentei ver e fazer os outros felizes, e se eu podia contribuir para isso, contribuía. É assim que me sinto bem. Ou pelo menos, sempre fez sentido para mim.

Os horários do rapaz não são os melhores do mundo, passa a vida a fazer noites, e eu passo a vida a tentar ou passar lá para lhe dar um beijo ou mesmo a fazer companhia para que chegue à meia noite para se vir embora e irmos beber um café. Já cheguei a lá estar umas 3 horas a fazer companhia. Ninguém me obriga, faço-o porque quero, porque gosto de estar feliz e de ver os outros felizes, neste caso, ele. Se está a apanhar seca, se tenho a possibilidade de lhe fazer companhia, se o faço  feliz, por vezes vou.

Eu a minha mãe temos um feitio lixado, quantas vezes não preferi me chatear com a minha mãe para estar bem com ele. Quebrar algumas regras cá de casa, para que não seja a minha relação a ficar prejudicada, mesmo arriscando um mau ambiente cá em casa? Não sei, já perdi a conta.

Cá em casa, ninguém faz nada sem mim. Os recados TODOS que sejam precisos fazer, é aqui a Rita a fazer. Qualquer assunto que seja preciso tratar seja relacionado com a empresa, seja para ir a edp, a pt, aos bancos ou ao supermercado, ou pagar contas, sou eu que faço. E ninguém, dá valor.

Tenho quem me chame bicho do mato (namorado incluído), eu cá para mim penso que ainda deveria ser mais. Quanto mais conhecemos, quanto mais damos a uma pessoa pior é. Quanto mais esperamos de uma pessoa, mais nos desiludimos. Às vezes dou por mim a querer ir daqui para fora, onde ninguém me conhecesse, onde ninguém me desiludisse.

 

Lisbon South Bay

Lisbon South Bay, é o novo nome dado à Margem Sul. É mesmo verdade. Parece que os presidentes das câmaras de Almada, Seixal e Barreiro se juntaram para dar um novo nome para tornar mais fácil a sua pomoção a nível internacional com o objetivo de atrair investidores estrangeiros e para levar à criação de emprego.

Não sei o que pensar disto. Acho interessante os munícipios se terem unido com o objectido de promover aquela zona e para conseguir baixar o nível de desemprego. Mas depois, um nome em inglês torna a coisa estranha. Claro que haveria 1001 formas de dar a conhecer a margem sul sem ser necessário atribuir um nome novo, mas eles lá sabem.