Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pimenta na Língua

Tudo sobre alguém que não tem papas na língua

O amor

Sempre acreditei no amor. E sempre acreditei que enquanto houvesse amor, nada acabaria.

Posso ter a vida toda pela frente, mas amo como nunca amei ninguém. E tenho comigo (ainda) a pessoa com que sempre sonhei e com que me vejo a viver,  e a ter filhos.

Claro que sei que todas as relações passam por fases boas e fases menos boas, mas infelizmente também sei o que se sofre nessas fases menos boas, principalmente quando o que é melhor para a relação é ir um para cada lado durante uns tempos para refrescar ideias e ver se o coração não se aguenta quando estão um sem o outro. Na esperança de que o amor fale mais alto de ambas as partes.

Mas no meio disto tudo o que é o amor? Esse sentimento que tanto nos faz bem como nos mete a chorar baba e ranho. Não é suposto ser assim. Quando se fala em amor, imaginamos coraçõezinhos vermelhos e cor de rosa, florzinhas e pessoas felizes de sorriso no rosto. Nunca se fala na parte dolorosa, no que se sofre quando percebemos que só amor não é suficiente, quando as pessoas começam a mudar e a ter objetivos e gostos diferentes. Nesse caso, se não soubermos lidar com a situação está tudo estragado. E quando não há aquela conversa? Quando as coisas começam a ficar menos bem e se deixa andar? Aí, quando damos por isso começa a ser tarde.

O amor devia ser algo maravilhoso, mas também consegue ser do pior. É graças ao amor que hoje estou assim, sem vontade de sair de casa, de lágrimas nos olhos, sem vontade de falar para ninguém e só sair de casa e ir a correr para os braços dele. Mas não posso, porque o amor é lixado, e não é possível manter uma relação de pé apenas com uma pessoa. Por isso, aqui fico eu, à espera, à espera que ele se dê conta que não vive sem mim,  que eu não estou aqui para sempre, que por mais que esteja aqui a pensar e a chorar por ele, um dia canso-me, secam-me as lágrimas e o coração começa a bater lentamente, e eu começo a levantar-me. 

Mas até lá não desisto, porque sei que ele me ama, mas que todos temos defeitos, e os nossos infelizmente não sou poucos e eu tenho o problema de dizer tudo o que penso, ao contrário dele, o que faz com que choque. Mas sei que se estamos juntos à uns 7 anos, é porque algo muito forte nos une e sabemos disso, logo não se pode desistir assim.

 

Sempre acreditei no amor. Sempre acreditei que o amor vence tudo, não é agora que vou deixar de acreditar no amor, muito menos no nosso.

Amo-te

10 comentários

Comentar post