Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pimenta na Língua

Tudo sobre alguém que não tem papas na língua

Ainda a reunião da formação do iefp

Foi uma anedota. Uma autêntica anedota. Com pessoas revoltadas e a senhora do iefp com vontade de sair da sala e mandar toda a gente para um certo sítio.

Primeiro que tudo, o objetivo da sessão era obrigar as pessoas a increverem-se numa de três ações de formação:

- Organização de eventos;

- Recursos Humanos;

- Espanhol;

Claro que tendo pessoas com 12º ano, licenciaturas e mestrados, era óbvio que havia para lá gente de todas as áreas e mais algumas e às quais estas ações de formação não interessavam para nada.  E começaram simpaticamente a questionar a senhora se não haveria outras formações mais direccionadas para a área delas. A senhora responde sempre que não. Outros irão fazer formações por fora na área deles e não querem esta, são obrigados. Quem não quer perder o subsídio, quem não quer ficar 90 dias sem conseguir inscrever novamente no centro de emprego tem de ir recambiado para a formação. Agora quem parecia que também lá estava mesmo por obrigação era a senhora que respondia mal a toda a gente, não tirava dúvidas e apelava ao bom senso quando a própria é que não o tinha e nem sequer estava a fazer o seu trabalho correctamente, tendo em  conta que não sabia responder à maior parte das dúvidas de toda aquela gente.

No meio de toda a confusão, e tendo em conta que tínhamos de escolher uma formação, houve quem perguntasse pelo plano de estudos para conseguir decidir. E onde é que ele estava? Não estava. A senhora tão competente que é, e a pensar que todos nós seríamos desinteressados, não o trouxe. E depois vem a história do Espanhol. Ah e tal para vocês que são licenciados e mestres o Espanhol é um Espanhol técnico. E surgem novamente as dúvidas. Ah e tal sou mestre mas nunca tive espanhol na vida. A senhora lá se baralhou toda e disse que não havia problema que o senhor começava do zero, apesar de existir gente que poderá falar um bocadito.

Só sei que a reunião demorou duas horas e meia, estava a ver que havia porrada para lá e que tínhamos de chamar outra pessoa do centro de emprego mais competente do que a que lá estava que se recusava a tirar dúvidas. Mas não foi necessário. Apareceu mesmo um colega da senhora, que com toda uma calma decidiu tirar dúvidas e concordar com tudo.

E pronto, sendo assim, daqui para a frente aprendo a hablar espanol.

13 comentários

Comentar post