Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pimenta na Língua

Tudo sobre alguém que não tem papas na língua

E quando os anéis caiem dentro...

da sanita.

Eu já falei aqui da minha paixão por anéis.

Durante o dia, como tenho estado aqui por casa, como é óbvio não ando com eles. Mas nas entrevistas, nos cafézinhos que não dispenso com os amigos, lá vão eles a fazerem-me companhia nos dedos.

Não tenho  por hábito ir a discotecas. Aliás, eu nunca gostei muito de discotecas. Lembro-me de ser mais nova e as minhas amigas por vezes me conseguirem arrastar para uma e eu ter a capacidade de ficar quieta encostada à parede a tentar perceber qual era a piada daquilo.

No sábado, como uma amiga fazia anos e tendo em conta que por estas bandas já se anda a festejar o carnavallá fomos nós. Confesso que até foi bem engraçado. Tirando a parte da casa de banho claro. 

Primeiro que tudo, tenho de dizer que o anel estava um bocadinho largo. E na minha ida à casa de banho, eu que costumo ter a inteligência de meter os anés nos bolsos para não os molhar quando vou lavar as mãos, tendo em conta que começam a ficar todos horrorosos, deixei-os nos dedos. E o que acontece? Conforme aqui a inteligente se vira para puxar o autocolismo, o anel mais bonito vai disparado do dedo, faz umas acrobacias no ar,  e  PLOC dentro da sanita. É que podia ter tocado no autocolismo e ter lá parado, podia ter caído no chão, que costuma estar nojento, mas até estava em condições (caso contrário nem entrava lá), mas não, estava destinado a deixar de ser meu.

E foi este o triste final do meu anel mais fofinho e bonito. Acabar dentro da sanita de uma discoteca nenhum anel merece.

 

2 comentários

Comentar post