Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pimenta na Língua

Tudo sobre alguém que não tem papas na língua

Há gente muito esperta

Há um senhor que caminha para a idade da reforma, o que quer dizer que tem idade para ter juízo, que me irrita profundamente nas aulas de espanhol. O raio do homem, meteu na cabeça que eu me dou ao trabalho de ir trocar a cadeira dele por uma que baixa sozinha quando vamos para o intervalo. Eu que não tenho com que me chatear e até tenho a chave da sala para lá ir no intervalo. Enfim...

Ontem tivemos teste, e o professor tinha dito que num exercício iria colocar parte da letra de uma música de Pablo Alborán para que ouvíssemos, e posteriormente completássemos sem erros. E deu a dica de três músicas que poderiam sair. O senhor virou-se para mim e no gozo diz "ah e tal a colega agora vai a correr para casa decorar as letras". Fingi que não ouvi.

Hoje foi dia de teste. Ele estava a arrumar a papelada dele e eu vejo 3 folhas impressas, em cada uma a letra das músicas que poderiam sair (depois era eu que ia estudar a letra). Tive mesmo, mesmo para mandar uma boquinha, mas calei-me. O professor comela a meter a música mesmo antes de dar o teste para ver se o som do pc estava bom, e o homem teve a lata de se virar para mim e perguntar qual era aquela música. Esperto. Respondi-lhe que não sabia e ainda lhe disse "tem aí a letra não é?". E acreditam que o parvo disse que não? Mas claro que esta gente tem toda sorte e alguém disse em voz alta qual era a música e lá foi ela à pressa meter a folha dentro do caderno para a vir a espreitar mais tarde. 

E depois são os novos que copiam, fazem batota, faltam ao respeito e mais não sei o quê.

Ainda lhe fiquei com mais azia.

Alguém ressona nas aulas?

Parece que sim.

É muito bom quando alguém adormece na aula, começa a ressonar, o professor mete uma música com o volume muito alto e a pessoa que se encontra a dormir, ao acordar manda um salto que quase cai da cadeira.

Escusado será dizer que o professor fica com cara séria a olhar para a pessoa em questão e a restante turma se desmancha a rir.

Bom, foi mesmo muito bom.

Aluna exemplar

Tinha tantas saudades de fazer um teste que consegui tirar um 17 a Espanhol!

Parece que a coisa até está a correr bem. Só é pena haver para lá uns problemas demasiado graves com o grupo e que eu até tenho medo de partilhar. A coisa é demasiado grave, portanto nem sei quando é que posso partilhar.

 

O primeiro dia de aulas...

tem sempre coisas engraçadas.

A minha sobrinha foi para o 5º ano, o que quer dizer que foi para uma escola nova, diferente da anterior e muito maior.

E claro, com o ínicio da escola vem o receio de se enganar no  autocarro para ir para casa. Para quem está habituado é a coisa mais fácil do mundo, porque os autocarros não são públicos, estão no recinto da escola à espera deles e cada autocarro tem o estacionamento certo, é sempre o mesmo e tem um papel no vidro a dizer para onde vai e um número. Coisa muito fácil.

A rapariga de manhã entra numa paragem, mas quando vem da escola sai noutra para ficar na casa  da avó. logo o autocarro é diferente.

Coitada da miúda foi enganada, ia ela a entrar no autocarro certo, quando a colega que pensava que ela ia sair na paragem na qual entrou, lhe diz que não é aquele autocarro. Inteligente como é, foi perguntar ao responsável qual era o autocarro e ele disse. Mas se ela tivesse dito o nome da paragem e não o nome da freguesia não se tinha enganado no autocarro.

A avó lá esperou por ela uma meia hora, quando a vê a vir a pé.

Pronto, não se pode dizer que não é desenrascada. Mas também não se pode dizer que era muito longe vá.