Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pimenta na Língua

Tudo sobre alguém que não tem papas na língua

Odeio o pára arranca na estrada

Adoro conduzir, sempre gostei, mas não tenho a mínima paciência para ficar em filas que não passam do parar e arrancar, andar meio metro e voltar a parar para descansar mais um bocadinho.

Já é mau o suficiente andar assim, mas depois, para piorar mais a situação, tenho sempre a sorte de apanhar aquelas pessoas, às quais lhes chamo todos os nomes e mais alguns.

E querem saber porque lhes chamo todos os nomes e mais alguns?

Porque são aqueles chatos que em vez de avançarem o meio metro que têm para avançar, ficam à espera que compense destravar o carro, meter a primeira e avançar, fazendo assim com que haja um espaço de 500 metros e por vezes até mais. O que é lindo, depois fica ali uma pessoa a pressionar, a avançar cada vez mais para trás dele e ele nada, limita-se a olhar pelo espelho retrovisor e volta a ignorar o espaço que tem pela frente.

É tão bonito isto não é?

Depois há acidentes

No outro dia ia tendo um ataque cardíaco enquanto conduzia.

Ia eu muito bem na minha faixa, muito concentrada (foi o que me valeu) e a ouvir uma musiquinha, quando de repente, um carro que vinha na faixa contrária, em vez de continuar na faixa dele vem direito a mim. Valeram-me os reflexos, a atenção e a rapidez com que reagi, porque pelo tempo que ele levou a reagir,  já me tinha enfiado no meio da fazenda que era um instante.

No meio de todo o assusto que apanhei, consegui percebe que ele ia distraído com um tablet ou uma merda qualquer que levava entre o volante e o vidro.

E são estes os condutores que temos na nossa sociedade.

Dos exibicionistas!!

Acho que não ria com as desgraças dos outros como ri no domingo passado há imenso tempo!

Em plena A8, com o céu a ameaçar chover e bem,  passa um desgraçado a armar-se em bom num descapotável. O carrito não valia nada, mas era motivo de orgulho do dono que lá ia sentado de cabelos ao vento. Começou a chuviscar, mas como o moço no seu descapotável não devia conseguir ver o céu, não percebeu que a chuva ia cair forte e feio, e lá continuou com a sua vaidade. O senhor meu pai, gozão como é, não evitou comentar algo como "devia forrar-se a chover antes de ele fechar a capota". Pois que foi ele a acabar de falar e começa a cair uma chuva tão forte, que nós, de limpa vidros no máximo, estávamos a ver com dificuldade. Claro que apesar de toda a dificuldade em ver, andei a fazer malabarismo para observar o gajo a conduzir completamente encharcado e a parar na berma para fechar a merda da capota que só fechava com o carro parado.

Foi a comédia em plena autoestrada, parece uma anedota, mas é real.

De uma gripe valente o homem não se deve ter livrado e o interior daquele carro também deve demorar uns dias a secar!

Taxistas, os xicos espertos!

É  verdade, não tenho outro nome para os Táxistas. Bem sei que não são todos iguais, mas infelizmente, todos os que me passam pela frente devem ter tirado a carta no mesmo sítio e após a carta devem ter tirado umas quantas formações de Xico-espertismo para Taxistas.

Hoje de manhã, estava eu há imenso tempo parada numa fila enorme, todos os condutores esperavam para conseguir entrar na estrada e começo a ver um Xico Esperto Táxista a vir por ali a fora em sentido contrário, convicto de que passaria à frente de todos os outros e que entrava na estrada. Enganou-se, claro. Encontrou um veículo a vir de frente, teve a sorte de conseguir encostar perto de uma garagem e voltou a enfiar-se na estrada, na esperança que alguém o deixaria entrar e acabou por ficar parado em sentido contrário novamente. Claro que ali ficou uma data de tempo até ter a sorte de alguém o deixar entrar, e parece que demorou porque conforme não o deixei entrar, outros tantos que estavam atrás assistir também não deixaram.

Depois ainda reclamam quando circulamos na faixa do Bus.

Xicos Espertos!

 

A estrada

Eu acho que não fiz mal nenhum a alguém, mas parece que quando ando a conduzir toda a gente me quer matar.

Hoje de manhã perdi a conta à quantidade de carros que se atravessaram à minha frente na estrada, ontem perdi a conta à quantidade de carros que se atravessaram à minha frente, e calculo que amanhã a história seja a mesma.

Não vou propriamente devagar, mas também não vou a abrir, o que faz com que qualquer dia eu não tenha tempo de travar a tempo sem bater no paspalho que se tenta meter à minha frente.

Enfim, depois dizem que há acidentes, claro que há, as pessoas não têm calma, logo não os previne!