Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pimenta na Língua

Tudo sobre alguém que não tem papas na língua

Usar soutien: Sim ou não?

Como é que é possível alguém se esquecer de vestir o soutien?

Até aqui achava que não aconteceria tal coisa. Sempre pensei que as mulheres se preocupassem com isso. Que não quisessem andar a exibir mamas descaídas, mas parece que há quem não se importe.

Não, não é o meu caso. Para mim é completamente impensável, não consigo sair de casa sem o soutien vestido. Acho que nem houve uma única vez em que desse por mim a vestir uma camisola sem o soutien. Mas é que nem mesmo com aqueles tops fofinhos e com alças muito fininhas, que nem precisam, nem fica lá bem um soutien. Não, para mim não dá mesmo.

Eu sei que sou um bocado esquesita no que diz respeito a essas coisas, sei que há muito boa gente que não se importa de andar sem o soutien com uns topzinhos, claro que têm um peito pequenino e bonito, mas eu apesar de não ter mamas muitos grandes, ao não usar sinto que ando com elas a chegar aos joelhos.

Mas querem saber porque venho com esta conversa para aqui?

Ora então porque houve alguém que se chegou ao pé de mim logo de manhã, e que ao tirar o casaco e ficar em t-shirt diz algo do género "não acredito, esqueci-me de vestir o soutien. Levantei-me da cama e não o vesti".

Eu fiquei sem reação, quer dizer, a minha reação foi mesmo olhar-lhe para as mamas para ver como é que aquilo estava. E sim, lá estavam elas todas descaídas e de bicos espetados.

Mas depois também me leva a pensar que se levantou apenas da cama, vestiu-se, e veio-se embora. O que por momentos também me levou a pensar que momentos de higiene também não devem ter havido. Mas isso é tema para outro dia.

O que me intriga hoje é mesmo tentar perceber como é que é possível alguém ficar com as mamas naquele estado sem soutien e mesmo assim não o vestir?

O amor é fodido...

e eu que o diga porque estou para aqui lavada em lágrimas e com medo de deixar fugir o meu. Com medo de deixar fugir mas é o namorado, porque o amor esse é forte e não vai a lado nenhum, não se vai assim sem mais nem menos.

Acho que me deviam ter dito que esta coisa do amor não era pêra doce. O amor é o melhor do mundo, mas que é fodido é.

Isto de amar, saber amar, perceber a perspectiva do outro, ambas as partes cederem um pouco, compreender 1001 coisas...devia ser tudo mais fácil, ou  deveria ser algo inato, que já viesse interiorizado, ou então deveria existir um manual de instruções ou um guia sobre namoros ou como levar uma relação saudável. Se calhar poupava muitos problemas a muita gente. A mim pelo menos dava-me jeito, já que  estou na fase em que "se calhar é melhor cada um seguir com a sua vida", mas na realidade não é nada disso que queremos, eu não quero, ele não quer, aliás, o que queremos mesmo é seguir com a vida para a frente, mas juntos.

 Às vezes, dou por mim a pensar naquelas pessoas que não sentem necessidade de estar com alguém, de partilhar a vida com alguém. Não encontraram a pessoa certa? Não têm a capacidade de amar como a maior parte das pessoas? Não sei. Só sei que conseguem ser felizes assim. Eu não conseguiria, para isso preciso dele. Mas é mesmo dele, não é de outro qualquer.

Eu amo, entrego-me e espero que de o outro lado aconteça o mesmo, que seja mútuo, que o amor que tenho seja retribuído. Tento fazer tudo para estar o máximo de tempo, para ver sorrir, para se sentir bem. Claro que não sou perfeita, nunca é suficiente e faço sempre alguma coisa menos bem feita. Levo tempo a imaginar como é que será amanhã, no mês seguinte, no ano seguinte. Imagino o trabalho, a casa, os miúdos. E sonho e vou continuando a sonhar. O problema é que a vida não é nenhum sonho, e também dá com cada volta que faz com que o que imaginemos muitas vezes saia tudo trocado.

Neste momento não quero mais nada do que ser feliz, e ser feliz, para mim e neste momento é ter o homem da minha vida ao meu lado. São 7 anos, não é fácil, as maneiras de ser e de pensar não ajudam, as pessoas que se metem pelo caminho também não, o meu feitio é lixado eu sei (sou carneira e basta) mas o teu também não é o melhor.  Temos tudo para ser felizes, só há a porcaria de dois maus feitios que têm de se entender.

Ainda me lembro como tudo começou, as brincadeiras, as mensagens iniciais e o primeiro beijio Esse, que eu queria há tanto tempo e que me roubaste sem eu menos esperar. Esperares por mim todas as manhãs para irmos juntos para a escola, andares a trocar de autocarro só para estar mais 20 minutos comigo, dizeres-me que ias para frança só para veres a minha reação mesmo sabendo que não ias e o meu coração ter parado. Até que chegou o dia, foste e despediste-te com um "até já" mesmo não tendo um bilhete de volta. Só eu sei o que sofri nesses meses. Nunca me vou esquecer do abraço apertado que me deste quando fui ter contigo e da força com que me apertavas a mão no caminho paara casa. Voltaste e devolveste-me o sorriso e a força que tinha perdido durante o tempo que por lá ficaste...Podia ficar aqui quinze dias a descrever momentos, todos eles fizeram com que gostasse ainda mais de ti e que te queira mesmo cimigo. 

Há dias maravilhosos, há dias bons e menos bons, ontem fui um deles. Bora continuar a ser felizes, deixa-me continuar a armezenar momentos fantásticos nesta minha memória.

Ainda ontem me disseste algo como "não quero falar para não te magoar ao dizer coisas sem pensar" isso não é amor?

Estás à espera de que para me ligar e dizer que me queres???

 

Amo-te

 

Só me ia defender de um ladrão....

Ontem tive um ataque de riso gigante, depois de "querer matar" o meu namorado.

O que aconteceu?

Então aqui a Rita foi lá jantar a casa, e como sabia que ia chover a potes, levou o chapéu de chuva para dentro de casa. Jantámos, arrumou-se a cozinha e fomos para cima ver um filme.

Infelizmente, antes de sair  lá de casa à noite, passa-me sempre pela cabeça que qualquer dia ao entrar no carro ou a sair da porta,  me deparo com um ladrão, quem sabe ainda dentro de casa. Então, levo logo a minha malinha, o meu casaco e tudo o que me pertence para onde quer que eu vá, seja para a cozinha, para a sala ou para o quarto. E ontem deixei o chapéu de chuva (seco) nas escadas.

Estava eu preparada para ir embora, sem saber onde é que ele se tinha enfiado, pensava eu que na garagem de roda da mota, fui por ali abaixo de mala num braço e chapéu de chuva gigante na outra mão e ia à procura dele. Lá vou eu toda contente escada abaixo e me deparo em plena escuridão com o que parecia uma luz de lanterna e uma pessoa a subir as escadas. Nem pensei, duas vezes, na minha cabeça era um ladrão. Por acaso, a luz era a maçã iluminada do mac que o rapaz trazia na mão. Não interessa, para mim era um ladrão, e a minha reação foi mandar um berro e com a minha arma em punho (o chapéu) espetá-la para a frente! Ou seja, ele não levou com a ponta do chapéu no peito não sei como.

Ele parvo e assustado a olhar para mim, e eu a rir quase a rebolar pelas escadas abaixo sem conseguir explicar que pancada tinha sido aquela.

A sério, se aquilo tivesse sido filmado seria demais.

Mais um desafio

Ora bem, parece que fui tageada para mais um desafio, e deixem-me que vos diga porque isto até se torna interessante, para quem não acompanhou os blog's de inicio, ter oportunidade de ficar a conheccer um pouco mais quem está por trás do blog, ou o que deu origem ao blog. Desta vez, fui desafiada pelo Me and my boy e por a Nathy R.

 

Ora então vamos lá:

 

 1 - O que te fez criar um blog?

 

Para esta já tenho a resposta num post, assim que criei o blog, ora vejam lá "

A ideia de criar um blogue não vem de agora, mas facto de ter mil e um trabalhos, entre planificaçoes e um relatório de mestrado, fez com que adiasse a ideia até ao dia de hoje.

E porque só agora é que decidi andar com isto para a frente? Porque sou só mais uma dos milhares de jovens recém licenciados/mestres que não consegue arranjar emprego. E como tal, entre procurar trabalho, não obter respostas e ouvir muitos "Nãos", não ter muita coisa para ocupar o tempo dá-me ainda mais vontade de escrever, e aqui estou eu. (...)"

 

 

2 - Como escolheste o nome para o teu blog?

 

O nome do blogue este não é por acaso. Deve-se à minha capacidade de na maioria das vezes não conseguir ficar calada em determinados momentos. Ou seja, pimenta na língua, era o que eu devia meter de vez em quando, quando falo demais, ou coisas que não devia.

 

3 - Qual o assunto que mais gostas de tratar no teu blog?

 

Gosto de escrever sobre um pouco de tudo, qualquer coisa que tenha interesse para mim.

 

4 - Qual foi o post que mais gostaste de escrever até agora?

 

Como é óbvio não escrevo por obrigação, tudo o que escrevo me dá gosto. Há posts mais engraçados que outros e que sei que permitiram gargalhadas, há os mais pessoais e nos quais me caem lágrimas enquanto escrevo e há aquelas coisas fantásticas que eu adoraria comprar, e que se tivesse apenas um quarto delas era feliz.

É-me impossível escolher um post preferido.

 

 

5 - O que esperas para o futuro do teu blog?

 

Não criei o blog com outro propósito para além de desabafar, de colocar nesta página parte do que me ia na cabeça, queria escrever. Foi para isso que foi criado. Por acréscimo veio outras coisas boas, como as pessoas que passam por cá diariamente ou uma vez por semana, o que demonstra que gostam daquilo que cá está escrito, portanto, só quero que continuem a gostar, e que eu tenha sempre um tempinho por dia para escrever, que me dá tanto prazer.

 

 

E agora, quem se sentir desafiado que responda, não quero andar a "chatear" ninguém com tanta reação

Solidão

E ficar em casa o dia todo sozinha a pensar na merda em está a minha vida e ver uma série pelo meio?

Pode parecer loucura, mas era mesmo o que estava a precisar.

Ficar sozinha, chorar, gritar, deitar tudo cá para fora. Chorar e não ter de dar explicações a ninguém. E esperar... esperar que ele me venha bater à porta, nem que seja para dizer que tudo acabou, porque andar assim, cheia de esperança não dá.

Vida de merda.

o meu pior erro...

Desisti do ginásio!

Calma, tenciono voltar.

Eu adorava o ginásio, adoro tudo o que são aulas de fitness, mas estava a ser insustentável. Não era caro, podia ir todos os dias por semana, mas para quem não tem um ordenado, é impossível dar-se ao luxo de ir pelo menos 3 vezes por semana para um ginásio que ainda fica a 11 ou 12 km de casa. Quando as minhas colegas lá estavam, ainda conseguia ir com elas, agora, ter de pedir o carro aos pais, ter de pedir gasóleo, não dá. Aliás, nem me sinto bem a fazê-lo. Uma coisa seria pedir o carro emprestado para ir trabalhar, a partir do 2º mês já lhe metia o gasóleo, agora para ir trabalhar o corpo, a conversa tem de ser outra.  Mais vale nem tentar.

Portanto, prometi a mim mesma, que se o meu horário assim o permitir, no meu 2º mês de trabalho estou lá. Porque me faz bem e aquilo é brutal.

Estágios profissionais

Finalmente! Parece que é desta, e que a partir desta Quinta feira, dia 31 de Julho, os Estágios profissionais com as novas regras já podem avançar. Claro que quando há mudanças, raramente são para melhor. E o que piorou? Passaram de 12 meses para apenas 9 meses e as contribuições para o privado passaram de 80% para 65%.

Claro que para as empresas  isto é pior, mas reconheço que a grande maioria das empresas se aproveita destas medidas e nada de fazer contratos, é quase tudo corrido a estágios profissionais. E depois, quem faz o estágio está lixado, primeiro que consiga encontrar uma oferta de emprego sem ser para estágio, demora uma vida.

Enfim, vamos ver se é desta que eu consigo arranjar um estágio para mim!