Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pimenta na Língua

Tudo sobre alguém que não tem papas na língua

Malditas prendas

Já aqui tinha dito algures que adoro o Natal.  Não pelas prendas, mas por ter a família toda junta, sem haver pressas e preocupações.

Pois, mas isso não é assim tão verdade. Não ligo às prendas ou porque já sei o que são, ou porque sou eu que compro para mim um mês antes e as embrulho para não usar ou porque não as tenho. Mas há sempre uma que é especial. Há sempre uma que não sei o que é, há sempre uma que me faz brilhar os olhos de curiosidade e que só a vou buscar depois da meia noite. E este ano estraguei tudo. Não sei o que aconteceu, não sei o que se passou, só sei que não estava à espera nem  por nada. E claro, a minha reação não foi a melhor. E acho que acabei por estragar o Natal a uma das pessoas que mais amo na vida, e claro o meu.

Malditas prendas.

Comecei a odiar o Natal

Desafio Natalício

Fui desafia pela Nathy  e também pela Dona Pavlova para responder a uma questionário natalício.

Aqui está ele.

 

Perguntas & Respostas:

Árvore de natal artificial ou natural? 

Artificial. Primeiro não acho muita graça a andar a cortar árvores para enfeitar por uns dias, depois as artificiais são muito mais bonitas e não cai "lixo" da árvore como acontece com as naturais.

 

Natal com neve ou sol? 

Não costuma nevar por aqui. Portanto é mesmo só com frio. Já tive a oportunidade de passar um Natal em França, ou seja, levei um dia a fazer bonecos de neve e a cair e a deslizar e tudo mais alguma coisa, mas para isso não é preciso ser natal.

 

Esperar pela manhã ou abrir os presentes à meia-noite? 

É meia noite e começo a distribuir presentes. Confesso que quando era miúda (no "tempo das vacas gordas") e os presentes ainda eram alguns, de hora a hora abria um.

 

Qual o filme que adora ver nesta altura?

Todos, menos o sozinho em casa por favor.

 

Cânticos de natal nos shoppings. Sim ou Não? 

Epa não.  Tudo bem que no meio de tanta gente, com tanto barulho nem se ouvem as músicas, mas há umas mesmo irritantes.

 

Qual o uniforme que usa no dia de natal? Pijama ou veste toda bonita? 

Na noite visto-me normal, no dia procuro vestir uma pecinha de roupa nova. Se receber, claro.

 

Qual a sua comida de natal favorita? 

Tudo, menos bacalhau cozido. Prefiro bacalhau à lagareiro.

 

O que quer receber este natal? 

Prenda, prenda, era um trabalho. Mas como isso não é assim tão fácil de arranjar, posso ficar por um computador, um iphone, uma máquina fotográfica... Ahah, sim podia ser, mas como sei que não vai ser, fico feliz com um baton e uma camisolinha.

 

Planeia antecipadamente os presentes ou é à última hora? 

Não sei porquê, mas logo no início de Outubro começo a lembrar-me do natal, então se vir algo interessante e que sei que a pessoa não vai comprar entretanto, compro e guardo.

 

Veste de Pai Natal?

Opa, já fui "obrigada" a vestir-me duas vezes para a minha sobrinah mais nova, confesso que gosto mais de ver as miúdas a abrir prendas enquanto Rita e não Pai Natal. Mas também a coisa passou rápido porque a miúda me topou pelas botas.

 

Qual a sua música favorita do Natal? 

Não tenho.

 

Onde vai passar o Natal este ano? 

Em casa com a minha família.

O natal e a passagem de ano

Sempre gostei da época natalícia, aliás, sempre adorei o Natal. Claro que gosto de presentes, quem não gosta?  Mas o que gosto mesmo  é de ter a minha família à mesa, tempo para brincar com as minhas sobrinhas e não ver ninguém a olhar para o relógio e com pressa.

E quando me perguntam pelas prendas? Opa há tanta coisa gira, tanta coisa que gostava de ter, e que até coloquei aqui pelo blog algumas sugestões, mas prenda prenda só gostava de ter uma, só queria mesmo era trabalhar. Ter a oportunidade de ir a uma entervista e conseguir ficar com o lugar era a melhor prenda que poderia dar a mim mesma.

Mas o a Natal passa e vem a passagem de ano. E o que acho eu da passagem de ano? Ao contrário do Natal odeio a passagem de ano. Comemoro sempre, janto e passo toda a noite com os meus amigos, verdadeiros amigos, mas não passa de mais uma noite boa cheia de amizade e divertimento. 

Este ano, ainda menor é a minha vontade de comemorar.

O que tenho eu para comemorar? Nada. Vou comemorar o quê? Um ano de desemprego? Um ano de angústia e desespero? Um ano de tristeza? Vou comemorar o ano em que me senti mais inútil?