Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pimenta na Língua

Tudo sobre alguém que não tem papas na língua

Vida do caralho

Este blog já começa a ficar um bocado para o depressivo, dada a quantidade de vezes que venho para aqui escrever que estou de mal com a vida e bla bla bla.

Pois claro que isto começa a ficar depressivo! Como é que eu posso vir para aqui falar de coisinhas bonitas e fofinhas quando levo toda uma semana, todo o santo dia, durante toda a santa noite a ter pesadelos? Ando nestas noites desde a sexta-feira passada e depois ainda me admiro de acordar cheia de dores de cabeça.

Como isto não é suficiente para meter uma pessoa de mau humor, tenho todo um astral em baixo, mas quando digo em baixo, é mesmo lá bem no fundo. Começo para aqui a pensar na maldita minha vida, que de interessante não tem nada, que o tempo está a passar, os meus 26 anos quase aí à porta e eu sem trabalho, sem dinheiro e sem perspectivas de melhoras nenhumas.

E claro, como também não é suficiente uma pessoa já se sentir mal consigo própria e não conseguir esquecer estes pormenores demasiado importantes, ainda tem de levar com as pessoas a perguntar se estamos bem, que estamos com má cara, se já estamos a trabalhar e o que andamos a fazer da vida. O que é que dá vontade de responder? Sinceramente, acho que muito em breve começo a mandar pessoas para o caralho.

Ando tão parva, tão parva, que nem vontade de ir ter com as minhas amigas tenho. Nunca, mas nunca me lembro de ter tido problemas com colegas e amigos, em sentir-me mal num grupo. Nunca me senti colocada de parte, nunca me senti a "coninhas" nem da turma, nem do grupo de amigas, nunca senti que gostassem menos de mim. Agora, sinto-me o monte de merda, a coninhas. Aquela que não tem nada de interessante para contar porque a vida de interessante também não tem nada, aquela que nunca pode ir jantar aqui e ali porque não tem dinheiro, aquela parva que nunca pode ir às compras porque adivinhem? Não tem dinheiro. Aquela que nunca pode comprar o maldito bilhete de avião para daqui a uns meses porque para além de não ter dinheiro ainda tem a puta da esperança de vir a estar a trabalhar nessa altura.

Podia continuar aqui toda a noite a escrever como me sinto mal e com o quê, mas até eu já estou cansada. Escusado será dizer que já tenho a merda do teclado do computador cheio de lágrimas.

 

 

É triste viver aqui...

Tenho dias em que consigo estar bem. Consigo "esquecer" por momentos que não tenho trabalho, que tenho uma vida pela frente que devia estar encaminhada e já devia estar fora da casa dos pais.  E nesses dias, em que esqueço, consigo estar feliz. Depois, há dias em que só me aptece desaparecer, que nada para mim  faz sentido, penso que nunca deveria ter ido para a universidade, que estaria bem melhor agora se tivesse arranjado trabalho numa loja em vez de ir estudar.

Tenho vergonha de viver num país que só emprega gente que tem conhecimentos nas empresas, nas intituições, onde quer que seja. Tenho pena de viver num país onde predomina o factor Cunha e não o factor competência, num país que mete os desempregados a fazer formações que nada têm a ver com a área em que estudámos, simplesmente para baixar números de desemprego.

É triste ter que ir embora, deixar família, amigos. Mas se não for assim, este país não nos traz futuro. Já pensei em ir embora, e acho que é isso que tenho de fazer muito brevemente.

 

 

Só me lixam...

Aquele gajo só me lixa.

Tinha combinado com o meu namorado irmos jantar fora e depois irmos passear um bocadinho, tinhamos combinado irmos até ao casino com uns amigos e depois seguir para casa e ele ir só trabalhar da parte da tarde. Até aqui tudo bem. Aliás até aqui tudo óptimo. Ficavamos a dormir um bocadinho de manhã e pronto.

Até que ele diz que o colega nunca mais lhe tinha respondido à mensagem por causa dos horários. Liga-lhe.

Amigo- Ah e tal estou com o rei do engate, estou a ir agora para lisboa, vamos para a borga, já estamos aqui apetrechados de bebida, eu vou fazer noite.

Namorado - Pois, mas eu também estou a caminho de lisboa, estou com a rita, ela vai lá dormir, eu queria fazer noite.

Amigo- Epa, não me fodas, já estou a ir, não consigo ir trabalhar de manhã. Vê lá, vocês levantam-se um bocadinho mais cedo.

Porque é que eu sou sempre a fodida? Podia-me ter levantado às 11, às 12 ou às 13 ou quando me aptecesse. Mas não. O outro foi apanhar uma bebedeira e eu às 8 estava em pé, e não fui dormir nada cedo.

Depois dizem que eu sou antipática para eles. Claro.

 

Voltei ao desespero!

Já por aqui tinha dito que este mês tinha estado a tomar conta de um casalinho de gémeos de uns colegas, enquanto as crianças não tinham entrada na creche. O que fez com que tivesse um mês com rotinas, em que tinha horas para tudo, tempo para nada e dores de cabeça horríveis. Mas no meio disto tudo preferia que assim continuasse, porque  esta semana entraram para a creche, e agora aqui estou eu, de novo sem rotinas, sem muitos motivos para sair da cama de manhã e novamente desesperada por não conseguir arranjar trabalho.

Agora, é esperar por um anjinho da guarda ou por um bocadinho de sorte para arranjar alguma coisa.

Não, se calhar o melhor é mesmo procurar ou arranjar uma cunha, porque parece que neste país só assim.

Falta de sorte!

Realmente há gente com uma sorte desgraçada, e eu infelizmente parece que não faço parte desse grupo e por este andar não irei fazer parte dele tão cedo.

Então não é que eu vi uma oferta para um estágio profissional na minha área, mas tendo em conta que sou azarada, era demasiado longe. E o que pensei? Ah e tal, como sou uma boa amiga, vou ligar à não sei quantas para lá ir entregar o currículo, tendo em conta que é a dez minutos de casa dela. E claro, que ela lá foi, com um papel a dizer que já podia exercer mas que faltava a tese. E qual foi a resposta? Ai desculpa, deixa o currículo mas sem compromisso porque as entrevistas já foram.

Muito bem. As entrevistas já foram, a moça foi de férias.

Como há pessoas com sorte, e ela é uma delas, estava ela descansada e ligaram-lhe para ir à entrevista. Toca de ir à entrevista, no dia a seguir ligam-lhe a dizer que tinha ficado e começava segunda!

Estou super feliz por ela, acreditem. Mas por outro lado estou pior que estragada, eu que ando nisto à oito meses nada, e depois há a minha nini sortuda que ainda nem  certificado tem, ainda não tinha procurado nada e tem ali um ano garantido!

 

Ia para o algarve

Eu ia para o Algarve no domingo com a minha irmã!

Andava a pensar nesta semana à dois meses, mas hoje ligaram-me para ir a uma entrevista de trabalho na minha área na segunda, como é óbvio vou à entrevista. Mas com a sorte que eu tenho tido na minha vida ultimamente, vou perder uma semana fantástica de praia e não fico com o lugar que tanto quero!

Resta-me rezar a alguns santinhos e esquecer que há pessoas felizes a banharem-se em terras algarvias.

Trabalhar de borla?

Acho que foi isso que fui fazer à dois meses ou mais. Dois dias inteiros de pé, a aturar tudo e mais alguma coisa, com uma paciência de santa, e ainda não me caiu o dinheiro na conta. Claro que hoje liguei para lá e não faziam a mínima ideia que não me tinham pago, que pertinente não é? Ah e tal e mandou as faturas? Faturas? Oi? Quais fatura? Ninguém me disse que tinha de mandar faturas para lado nenhum... Eles insistem que disseram, eu tenho a certeza que não. Agora vamos ver, quanto tempo mais demoro a receber uns miseros 60 euros.