Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pimenta na Língua

Tudo sobre alguém que não tem papas na língua

Um fds de promoção

E pronto, já que não arranjo um emprego "a sério", passei o fim de semana num hipermercado a promover e dar a degustar um produto. Tenho de arranjar uns trocos de alguma maneira não é? Portanto lá fui eu.

 

Primeiro, deixem-me dizer que não tinha noção das extremas medidas de segurança que há para entrar e sair de um hipermercado de um shoping. Para além de ficar parva com aquilo, também me baralhei toda, perdia-me cada vez que saía da superíficie e tinha de lá voltar. Quando era para descer escadas eu subia, quando era para subir escadas eu descia, quando tinha de cortar à direita no corredor eu cortava à esquerda e por aí fora.

Bem, que confusão, confesso que se trabalhasse lá, acho que precisaria de 15 dias ou mais para decorar o percurso, e depois, não querendo generalizar aos restantos hipermercados, QUASE todas as mulheres com que me cruzei, meu deus, confesso que tive algum medo, sem me conhecerem de lado nenhum, aqulo era uma pouca vergonha a falarem, tinham uma língua do tamanho do shoping, e para falar mal, era bem afiada. Eram mil e uma vezes piores que os homens e que os rapazes, que pelo contrário até eram simpáticos. 

 

Mas voltando ao tema das promotoras, eu este fim de semana soube dar valor às promotoras, sim, às chatas que nos abordam nos corredores quando nós vamos descansados da vida e não queremos ser chateados. Acho que a partir daqui vou-lhes dar pelo menos um minuto de atenção. Então não é que é preciso a maior paciência do mundo para aturar todo o tipo de clientes? Sim, eu escrevi mesmo ATURAR. É porque há de tudo, ora vejamos:

 

- Há os Educados - Aquelas pessoas que por vezes parecem ser escassas, mas que afinal existem. Aquelas pessoas com quem dá mesmo prazer conversar, que cumprimentam, questionam, agradecem e no final ainda compram.

 

- Há os que recusam - Aqueles que te vêm ao longe, ainda não sabem o que é, mas que já te estão a dizer que não obrigada. E que tu pensas para ti: "Se te cheirasse a dinheiro vinhas a correr"

 

- Há os jeitosos - Aqueles que chamas por chamar, que pensas que vão recusar, provam, dizem que é bom e tu pensas "Epa, tu também és bomzinho", ahah, brincadeira.

 

- Há os esquesitos - Que provam dizem que não gostam, que não presta que é muito activo, ou que é demasiado gordo e tu pensas para ti mesmo: "Se calhar tu é que estás um bocadinho gordo"

 

 

- Há os comilões - São aqueles em que não precisas de chamar, bastar cheirar a comida a 500 metros que vão lá ter, e que não se ficam por um bocadinho, quase temos de dizer que há mais clientes, e que no fim não levam nada, só querem comer e ainda têm a lata de dizer que um copinho de vinho acompanhava bem;

 

- Há os chatos - Que são aqueles em que te arrependes de teres falado para eles. Em que tu dás uma palavrinha e eles ficam ali certa 10 a 15 minutos (até mais) a falar de tudo e mais alguma coisa, ainda te dão uma oportunidade ou outra de abordar outros clientes, porque lá estão eles fiéis à tua espera para mais dois dedinhos de conversa;

 

- Há os babados - Que não é preciso explicar muito, que ficam a apreciar os teus atributos, sejam eles muitos ou não.

 

- Há o mais irritante - Que é aquele cliente, que nós educada e simpáticamente abordamos, eles ouvem, porque conseguimos perceber que ouvem, mas metem os olhos no chão, aceleram o passo, ignoram a nosa voz e nós deixamos um sorriso no rosto, enquanto interiormente chamamos alguns nomes;

 

 

Eu juro que tudo aquilo que pensei não disse em voz alta, aliás sorri sempre e fui sempre educada mesmo quando tinha vontade de mandar alguém à merda, e mandei, mentalmente, mas mandei. Isto também só aconteceu mais ao final do dia, quando já estava mais que cansada, visto que estar em pé durante 8 horas, com uma pausa pelo meeio e não ter permissão para dar muito mais que três passos, não é coisa fácil. Ainda mais para alguém, inteligente como eu fui, que foi ao ginásio na sexta anterior e treinou pernas e rabo. Ou seja, escusado será dizer que foi meio caminho andado para não aguentar com as pernas.

 

E pronto, assim foi o meu fim de semana. E agora por favor, não ignorem as promotoras que vos abordam simpaticamente, elas sorriem, mas lá bem no fundo, se as ignoram e ou se são antipáticos, atrás daquele sorriso, ela está a mandar-te com toda a força à merda.

2 comentários

Comentar post